Grammar, Vocabulary

Dicas de pronunciation em inglês

A pedidos, resolvi fazer esse post sobre pronúncias em inglês. Queria dizer que quase desisti, por ser um assunto um tanto complexo… Mas pela essencialidade dele, e como uma seguidora fez essa solicitação, com muito carinho e suor tive de prosseguir!
Thanks, dear!  😉

Para começar, é importante conhecer alguns pontos, chamados de áreas-chave da pronúncia, cruciais para se entender e utilizar a língua inglesa. Leia a seguir.

1. International Phonetic Alphabet

O Alfabeto Fonético Internacional, chamado apenas de IPA, ganhou vida em 1888 quando um grupo de professores – que provavelmente estavam cansados ​​dos problemas de pronúncia de seus alunos – decidiu inventar um novo alfabeto padronizado, baseado em elementos do latim, a fim de conseguir transcrever os sons das línguas existentes.

Este alfabeto foi um divisor de águas. Com ele, é possível ler e saber como pronunciar uma palavra em qualquer idioma, independentemente de você já o fala ou não. Contudo, muitos professores o evitam, pois ele está cheio de letras e símbolos desconhecidos. As vogais e os ditongos são especialmente fáceis de confundir.

A forma padrão do inglês falado – ou o sotaque de referência – é conhecido como Pronúncia Recebida (RP), e é nele que o IPA se baseia. O RP também é chamado de várias maneiras: “inglês da BBC”, “inglês da rainha” ou o “inglês correto”. No entanto, a língua inglesa é viva, está constantemente sofrendo mudanças. O inglês da BBC de hoje é bem diferente de cinquenta anos atrás, bem como o discurso da família real britânica, que muda a cada geração.

Abaixo coloquei o gráfico com essas letras do IPA. Para ouvir cada um dos fonemas, você pode consultar o site da BBC.

phonetic_alphabet

Podemos perceber algumas diferenças, por exemplo: na palavra “bath” (“banho”), é possível usar um longo ou curto A, ou ainda um quase E. Pessoas do sul da Inglaterra tendem a pronunciar o longo A, os britânicos ao Norte, o A curto, enquanto os americanos puxam para o E. Ou seja, além de haver a dificuldade do aluno gringo aprender a falar as palavras, ainda existem os diferentes sotaques!   OMG!

A boa notícia é que, atualmente está mais fácil do que nunca entender o IPA com recursos online, como sites e aplicativos diversos. Até o Google Tradutor já tem uma ferramenta de áudio, para você escutar a palavra escrita!

2. Posicionamento da Boca

Isso mesmo, o formato da boca, língua e até os músculos faciais usados para se falar uma língua – seja ela a materna ou um segundo idioma – pode variar de dialeto para dialeto. Dependendo de sua origem, um estudante pode demorar mais ou menos a se acostumar com esse posicionamento na pronúncia dos fonemas!

Uma boa dica é ver figuras ou mesmo vídeos no YouTube de como deve ficar a sua boca ao proferir um som ou palavra. Confira um vídeo exemplo clicando aqui.

Em seguida, o aluno tem que usar o espelho para reproduzir corretamente o que viu. Na minha época de curso, passei um dia inteiro em frente ao espelho pra tentar falar corretamente as palavras começadas com THR…

Pegue pequenos espelhos na sala de aula e faça os alunos se observarem enquanto eles praticam os sons alvo. Isso cria consciência do que a posição deve realmente parecer quando está sendo produzida.

3. Tonicidade

Por alguma razão, essa é uma das áreas de pronúncia que os professores de inglês tendem a enfocar menos, o que é estranho, porque na verdade é um dos mais importantes. A tonicidade da palavra não existe em todos os idiomas; em alguns deles, cada sílaba carrega a mesma quantidade de peso.

In English, cada palavra tem uma sílaba forte – em raros casos, até duas! E é preciso saber em qual delas deve-se enfatizar. Se esse stress for colocado na sílaba errada, a palavra pode ser mal entendida… Por exemplo, há diferença entre a palavra RE-cord e re-CORD: a primeira representa a superação de um limite, como um registro no Guiness Book; já o segundo, é verbo, o ato de gravar algo.

De modo geral, os substantivos de duas sílabas têm ênfase na primeira sílaba, enquanto nos verbos de duas sílabas enfatizamos a segunda sílaba – é como “record” apresentado acima. Outra coisa curiosa é que muitas das palavras de três ou mais syllables são proparoxítonas!

4. Entonação

A entonação é a melodia da linguagem, e isso pode inclusive mudar sua percepção quanto ao que foi dito, por mais que as palavras sejam as mesmas. Graças à intonation, parece até que certas línguas soam mais felizes, românticas ou zangadas do que outras ao seu ouvido.

Dependendo da intonação, a frase pode soar irônica, como uma pergunta ou ainda grosseira. Por isso, se o falante não usar a entonação adequada, corre o risco de aborrecer o ouvinte ou até mesmo causar uma impressão ruim.

Aliás, dentro de uma frase, é preciso também saber em que elemento colocar ênfase: algumas palavras são mais importantes e são ditas com mais clareza e força do que o resto da sentença. Iremos futuramente explicar mais sobre esse assunto…

5. Fala Conectada

Como se a pronúncia do inglês já não fosse difícil, quem tem dificuldades no listening sabe exatamente o que é o tal de linking souns: a pronúncia das palavras mudam dependendo do que vem depois delas…

Essencialmente, a fala conectada é a ideia de que o discurso é um fluxo contínuo de sons. Um ótimo exemplo é o refrão da música: “Set fire to the rain”. Nela, Adele canta “But I set fire to the rain”; só que ela não pronuncia BUT separado, ela o liga com I e até surge do nada um som de R!

O mais complicado é justamente isso: em uma frase in English, pode acontecer de 4 palavras se juntarem e parecer que se falou apenas uma!

 

Sei que tudo isso parece complicado, mas não se preocupe em memorizar essas regras; a melhor maneira de aprender é ouvindo e praticando. Nem os nativos ficam pensando nelas, eles apenas dizem o que “soa certo”. Com prática suficiente, você pode conseguir falar o que soar certo também.

Para te ajudar nesse aprendizado, seguem alguns links com exercícios:
http://www.onestopenglish.com/skills/pronunciation/pronunciation-exercises/ https://www.fluentu.com/blog/educator-english/esl-pronunciation-activities/
Boas práticas no espelho!  😂

 


Fontes:
https://www.fluentu.com/blog/educator-english/teaching-pronunciation-esl/ https://www.fluentu.com/blog/english/how-to-improve-english-pronunciation/
http://www.aston.ac.uk/lss/research/lss-research/ccisc/discourse-and-culture/west-midlands-english-speech-and-society/sounds-of-english/

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s